Aliança Empreendedora carregando
Blog
arquivo
Aliança Empreendedora apresenta seu case em eventos internacionais de avaliação de impacto

Aliança Empreendedora apresenta seu case em eventos internacionais de avaliação de impacto

Representantes da organização foram à França e aos Estados Unidos para discutir questões pertinentes ao tema e trazer novas ideias para melhorar o método usado pela Aliança Empreendedora

Durante o mês de junho, a Aliança Empreendedora participou de dois eventos internacionais sobre avaliação de impacto, chamando a atenção de organizações sociais e entidades que trabalham com a promoção da cultura empreendedora pela adoção de um método que avalia não só o negócio, mas também o desenvolvimento dos empreendedores.

Representada por Cristina Filizzola e Regina Pfiffner, a Aliança foi a Paris entre 2 e 4 de junho para participar da J-PAL Post Primary Education and Youth Matchmaking Conference, ao lado de outras 32 organizações sociais e de 31 pesquisadores de universidades. O evento foi promovido pela J-PAL, organização com atuação internacional que trabalha com avaliação de impacto de ações sociais por meio de uma metodologia chamada “Randomize”. A metodologia consiste em comparar os resultados obtidos com os grupos que recebem as ações com os de grupos de controle (que não as recebem).

Além de conhecer melhor a metodologia da J-PAL, a Aliança teve a oportunidade de trocar ideias e experiências com dois pesquisadores, um da Universidade do Chile e outro da Universidade de Economia e Estatística de Paris, para aplicar a “Randomize Methodology” aos seus projetos.

Enquanto isso, do outro lado do Atlântico, acontecia a Conferência “Metrics from the Ground Up”, promovida pela ANDE (The Aspen Network for Development Entrepreneurs). O evento foi realizado nos dias 3 e 4 de junho na sede da organização, em Washington, e contou com a participação de aproximadamente 100 representantes de todas as entidades que integram a ANDE. A Aliança Empreendedora foi representada pela diretora-executiva Lina Maria Useche.

Por meio de discussões e apresentações de cases, os participantes trataram das dificuldades – e suas possíveis soluções – no que diz respeito a monitoramento e avaliação de impacto. Além disso, a ANDE apresentou seu relatório anual sobre as melhores práticas de monitoramento e avaliação desenvolvidas por entidades parceiras que integram a rede da organização. A Aliança foi citada como um case nesse relatório, com destaque para a inovação nos métodos de avaliação da organização, que avalia, além do negócio, o desenvolvimento do próprio empreendedor.

Segundo Lina, tanto o reconhecimento quanto a participação no evento foram enriquecedores. “Não só tivemos a oportunidade de apresentar e disseminar uma nova forma de medir e avaliar o impacto no empreendedor, mas também tivemos o privilégio de trocar experiências com experts na área e voltar cheios de ideias, informações e experiências, para melhoria do nosso Índice de Inclusão Empreendedora.”

Comentários