Aliança Empreendedora carregando
Blog
Folha Empreendedor Social entrevista Luciano Huck e Rodrigo Brito: Empreendedores poderão ser escolhidos para programa de TV

Folha Empreendedor Social entrevista Luciano Huck e Rodrigo Brito: Empreendedores poderão ser escolhidos para programa de TV


“Mandando Bem”, quadro de empreendedorismo do Caldeirão do Huck, estreia neste sábado. O quadro é uma parceria entre Luciano Huck, finalista do Prêmio Empreendedor Social 2007, e Rodrigo de Méllo Brito, finalista de 2008. A ideia é mostrar histórias como a de Marcelino Mourão, 27, de Araguacema (TO). Ele é dono de uma academia que utiliza material reciclado em seus equipamentos.

Leia a seguir entrevista com Luciano Huck e Rodrigo de Méllo Brito.

Folha – Como surgiu a ideia do quadro “Mandando Bem”?

Luciano Huck – O Brasil vem mudando, os anseios e sonhos das pessoas também. E o “Caldeiräo do Huck” também precisa acompanhar esta transformação. A capacidade empreendedora do povo brasileiro é incrível. E é focado neste cara; cheio de ideias, vontade e inspiração, mas sem grana ou informação, que nasce o “Mandando Bem”.

Rodrigo de Méllo Brito – Com o que conhecemos do mundo deste microempreendedor pela Aliança, desenhamos juntos desde os critérios de seleção, forma de inscrição, atividades de apoio e acompanhamento para garantir que o quadro realmente fosse além das expectativas do que já existe no Brasil em termos de impacto e inspiração gerada através de histórias reais que merecem ter seus exemplos apoiados e disseminados.

Folha – Que tipo de empreendedores vocês têm em vista? Ele tem de ter um negócio social? Empreendedores preocupados com sustentabilidade têm mais chance de serem escolhidos? (como o estudante de Tocantins que utiliza ferro-velho e material reciclado em sua academia)
Luciano – Sem preconceitos ou limitações, estamos atrás de boas histórias e que inspirem o telespectador.
Rodrigo – Não tem der ser um negócio social necessariamente, até porque o conceito é novo e ainda desconhecido pela população em geral. Procuramos por microempreendedores que tenham histórias de superação, sejam talentosos no que fazem e possam servir de exemplos para todo o Brasil. No caso do Bola de Ferro, a criatividade, inovação e capacidade de “fazer acontecer com o que tem” de Marcelino chamaram a atenção, mais do que a sustentabilidade. Ou seja, empreendedores com diferenciais que os destacam têm mais chance. Se atender a uma necessidade em sua comunidade ou gerar impacto social, melhor ainda, mas o principal critério é o talento e dedicação!

Folha – Até quando as inscrições para o “Mandando Bem” estão abertas?
Luciano – Trata- se de um quadro fixo, não tem um prazo determinado para o término das inscrições.
Rodrigo – As inscrições já estão e ficam abertas o ano todo, podendo ser feitas pelo site. Além das inscrições, também traremos histórias, notícias e dicas para microempreendedores por meio deste site.

Folha – O quadro será mensal? Quantas edições estão previstas para 2011?
Luciano – Esta periodicidade ainda não está totalmente fechada.

Folha – Como a Aliança Empreendedora entrou nessa parceria?
Rodrigo – Fomos indicados em novembro de 2010 por uma organização chamada Instituto Tellus, de São Paulo, que já estava trabalhando em parceria com o Caldeirão. Quando eles souberam que o Caldeirão estava pensando em um quadro relacionado a apoiar pequenos empreendedores, nos indicaram. Em uma reunião com todos do Caldeirão, apresentamos um pouco da história, missão, foco e resultados da Aliança. Como eles viram que era o mesmo público alvo, linguagem, “pegada” e apoio que estavam procurando, a sinergia foi perfeita. Depois disso ainda tivemos uma visita deles a alguns microempreendedores apoiados pela Aliança e uma série de reuniões para reuniões de desenho e planejamento do quadro, que tem seu resultado inicial lançado agora no próximo sábado.

Folha – O empreendedor terá treinamento em Curitiba, sede da Aliança?
Rodrigo – Apesar de a Aliança Empreendedora ter nascido e ter sua principal sede em Curitiba, também temos escritório em São Paulo e Recife, além de parceiros em mais 11 Estados, por isso, o local do treinamento depende muito do negócio do empreendedor selecionado. Se ele for um vendedor de mate na praia, será na praia que faremos o treinamento, se o negócio dele tiver como foco uma área rural ou em uma cidade fria do Rio Grande do Sul, também lá daremos o apoio!

Fonte: Empreendedor Social da Folha

Comentários