Aliança Empreendedora carregando
Costura


Nosso Trabalho


Como trabalhamos

Nosso trabalho consiste em apoiar empresas, organizações sociais e governos a desenvolver modelos de negócios inclusivos e projetos de apoio a microempreendedores de baixa renda, ampliando o acesso a conhecimento, redes, mercados e crédito para que desenvolvam ou iniciem seus empreendimentos. Geramos novas oportunidades de negócios, trabalho e renda através do empreendedorismo, promovendo inclusão e desenvolvimento econômico e social.

Nossa missão:

“Unir forças e viabilizar acessos para que pessoas e comunidades de baixa renda possam ser empreendedoras, promovendo a inclusão e o desenvolvimento econômico e social”

Nossa visão:

“Fazer da economia um lugar para todos”

Prestamos os seguintes serviços para gerar impacto e inclusão econômica:

Planejamento, execução e avaliação de projetos de apoio a microempreendedores de baixa renda com o objetivo de desenvolver competências empreendedoras e de gestão de negócios, e ampliar o acesso a conhecimento, redes, mercados e crédito. Construímos o projeto de forma conjunta e colaborativa com os parceiros, focando sempre no impacto direto na vida do microempreendedor.

A metodologia de trabalho das capacitações estimula desafios alcançáveis e pequenas vitórias que tragam respostas rápidas ao microempreendedor – combustíveis do empreendedorismo – integrando teoria e prática de forma a atender aos interesses e necessidades dos participantes. Ao final do processo, os microempreendedores estão aptos a analisar as dificuldades e problemas que enfrentam em seus negócios e buscar soluções para enfrentá-los. O desenvolvimento do microempreendedor resulta em seu empoderamento e autorreconhecimento como empreendedor. Muitos microempreendedores apoiados se tornam exemplos locais e contribuem ativamente para o desenvolvimento econômico e social de suas comunidades.

Consultoria e execução de modelos de negócios inclusivos que transformem cadeias de valor tradicionais em cadeias mais justas e lucrativas através da inclusão de microempreendedores de baixa renda.

Com esse enfoque, trabalhamos com grandes empresas para criar modelos e oportunidades de negócios que gerem tanto lucro como impacto social junto à microempreendedores de baixa renda, atuando desde a pesquisa e a identificação de oportunidades até o desenho, o planejamento, a implantação e a avaliação desses modelos.

Somos uma das primeiras organizações a desenvolver esse modelo de trabalho no Brasil, e criamos iniciativas com empresas de diversos setores, como cosméticos, atacados, reciclagem, móveis, e alimentos. Algumas das empresas com que trabalhamos são Natura, Danone, Santander, Instituto Coca-Cola, Masisa, Gerdau, Serasa Experian, A Gente Transforma – Marcelo Rosenbaum e Unilever.

Grande parte da população brasileira acredita que empreender é um dom, que pessoas nascem empreendedoras. Por isso, elas não buscam apoio para desenvolver seus pequenos negócios. Comunicamos para mudar esse paradigma, queremos disseminar a mensagem de que todos podem empreender, e que empreender é um conjunto de habilidades que podem ser aprendidas.

Desenvolvemos prêmios nacionais e regionais que inspiram microempreendedores a contar a sua história, contribuem para seu empoderamento e disseminam exemplos de sucesso nos quais os microempreendedores brasileiros se identificam.

Também prestamos consultoria e produzimos conteúdo para programas de TV e produtoras de vídeo para disseminar a causa através de histórias e conteúdo de gestão voltado a esse público. O principal exemplo desse trabalho é o quadro Mandando Bem do Caldeirão do Huck, fruto de uma parceria com a Aliança Empreendedora.

Metodologia

Temos uma metodologia dinâmica, baseada na Andragogia (educação para adultos), na dinâmica de grupos e na teoria Effectuation. A Andragogia leva em consideração a experiência das pessoas e utiliza como motivação a resolução de problemas e a aplicação imediata daquilo que se aprende. Utilizando os conceitos da dinâmica de grupos, aplicamos os conteúdos sempre em grupo, usando a linha humanista, que acredita no potencial do ser humano de enxergar a solução para os seus próprios problemas, e modificar o comportamento para chegar a um resultado diferente. A teoria Effectuation, desenvolvida a partir de pesquisas da Dra. Saras Sarasvathy, vê o empreendedorismo não como um dom ou conjunto de características, mas como um “conjunto de habilidades” que são desenvolvidas pela prática e experiência.

Ao invés de focar no desenvolvimento de um plano de negócios baseado em previsões para o futuro, a metodologia da Aliança se utiliza da abordagem da teoria Effectuation para estimular os microempreendedores a criarem e ampliarem seus negócios a partir do que eles têm, desenvolvendo três pilares fundamentais: 1 – Quem eles são (identidade, sonhos e autoimagem); 2 – O que eles sabem (conhecimentos e experiências); e 3 – Quem eles conhecem (rede de contatos). A aplicação dessa teoria se dá tanto pela sua simplicidade, como pela sua eficácia junto à microempreendedores de baixa renda, que em geral “começam com o que se tem” para criar oportunidades.

Desenvolvemos e sistematizamos cinco metodologias de apoio para diferentes públicos de microempreendedores. Todas as metodologias possuem uma linguagem simples, que conversam com o microempreendedor independente de sua escolaridade.

Metodologia de apoio voltada a microempreendedores individuais que já tenham um negócio funcionando (atuantes) ou que querem começar a empreender (iniciantes). A Jornada Empreendedora estimula desafios alcançáveis e pequenas vitórias que tragam respostas rápidas ao microempreendedor – combustíveis do empreendedorismo –, integrando teoria e prática de forma a atender aos interesses e necessidades dos participantes.

Para empreendedores iniciantes, a metodologia prevê a realização de um ciclo de encontros no qual o empreendedor avalia suas características, seus conhecimentos, sua rede de contatos e os recursos que tem à disposição, definindo uma ou mais ideias de negócio, que serão experimentadas e avaliadas ao longo do processo. Para empreendedores atuantes, a metodologia prevê a realização de Ciclos de Soluções, nos quais os empreendedores definem, a partir de um autodiagnóstico, quais seus principais problemas, dúvidas e dificuldades a serem superadas. Ao final do processo, os microempreendedores estarão aptos a analisar as dificuldades e problemas que enfrentam em seus negócios e buscar soluções para enfrentá-los.

Metodologia de apoio a grupos produtivos comunitários, certificada e reconhecida como “Tecnologia Social” pela Fundação Banco do Brasil. Com os encontros e assessorias promovidos com a metodologia, os integrantes dos grupos produtivos desenvolvem o comportamento empreendedor, definem processos e “combinados” para o trabalho coletivo, resolvem conflitos e vencem desafios, à medida que ampliam seu acesso ao conhecimento.

Ao longo das capacitações, cada grupo produtivo elabora um Plano de Negócios simplificado e um Planejamento Estratégico por meio da Oficina do Futuro, sendo também capacitados, de acordo com suas necessidades e interesses, nos temas de: Formação de Grupos, Resolução de Conflitos, Formação de Preço, Formalização, 5 S’s, Comunicação Interna, Controles Administrativos Básicos, Parcerias e Captação, Regimento Interno, Recursos Humanos, Trabalho em Rede, Desenvolvimento Local e Vendas.

Metodologia de apoio a microempreendedores individuais ou grupos produtivos que querem desenvolver e ampliar negócios sociais em suas comunidades, gerando tanto lucro como impacto social e ambiental através do empreendimento. Foi desenvolvida pela Aliança Empreendedora em conjunto com a Artemísia.

A capacitação prevê a elaboração de um Plano de Negócios simplificado por cada grupo produtivo, durante a qual são trabalhados os seguintes assuntos: Valores, Talentos e Paixões; Empreendedorismo Econômico e Social; Mapeamento de Demandas e Necessidades das Comunidades; Análise de Oportunidades de Negócios e Impacto Social e Ambiental; Definição de Produtos e Serviços; Cadeia de Fornecedores e Distribuição; Análise de Clientes, Parceiros e Concorrentes; Marketing; Custos e Precificação; e Fluxo de Caixa. Além disso, os empreendedores também têm a oportunidade de desenvolver um Planejamento Estratégico por meio da Oficina do Futuro.

Metodologia de apoio a organizações de catadores de materiais recicláveis, que tem por objetivo estruturar e fortalecer essas organizações por meio da melhoria de seus processos de produção, gestão e comercialização, visando à sustentabilidade, autogestão, empoderamento e inclusão econômica e social dos catadores. O objetivo final do processo é viabilizar que os catadores vendam o material reciclável diretamente para indústria, cortando o máximo de atravessadores do processo.

A metodologia Caminhos da Reciclagem parte de um diagnóstico aprofundado das organizações de catadores, que destaca as principais ações que precisam ser empreendidas. Possui linguagem acessível, boas práticas e exemplos próximos relacionados à reciclagem, para que os catadores se apropriem de conceitos e processos relacionados a: Gestão Associativista e Cooperativista; Mercados de Plásticos, Papéis, Vidros e Metálicos, Layout Produtivo, Produtividade, Prestação de Contas e Transparência; Controles Financeiros e de Vendas; Formalização; Como Buscar e Se Relacionar Com Parceiros, Clientes e Governos; Elaboração de Projetos para Editais; dentre outros.

Metodologia de apoio a microempreendedores que tem como principal objetivo capacitar e garantir que eles tenham acesso a técnicas e ferramentas criativas de design que podem auxiliá-los na criação e na melhoria de seus produtos e serviços, ampliando assim suas oportunidades de mercado.

A metodologia está estruturada por ciclos (básico, intermediário e avançado). A cada encontro de capacitação, o empreendedor: é sensibilizado para a importância de melhorar sua produção em um determinado aspecto (predefinido pelo tema da capacitação); aprende e pratica o uso de algum conhecimento ou ferramenta criativa; e aplica as técnicas em seu produto ou serviço, gerando melhorias e inovações. Os temas trabalhados podem ser: Produto Ideia; Análise de Produtos Similares; Identidade Cultural no Produto; Identidade Visual; Estilo; Combinação de Cores; Tendências; EcoDesign; Ficha do Produto; Design de Serviços; Avaliação Final Junto ao Cliente, além de temas estruturados para atender a demandas específicas do empreendedor.

Índice de inclusão empreendedora

Todas as metodologias impactam diretamente no comportamento empreendedor. Por isso, avaliar só o crescimento do negócio é insuficiente para entender o impacto real que a metodologia provoca na vida de cada um deles.

Para conseguir entender e avaliar essa transformação, desenvolvemos o Índice de Inclusão Empreendedora (IIE) a partir das bases do Effectuation, e incluímos a avaliação da renda:

  •  Quem sou (competências)
  •  O que sei (conhecimentos)
  •  Quem conheço (rede de contatos)
  •  O que ganho (impacto na renda e crescimento do negócio)

Todos os microempreendedores apoiados respondem ao questionário do IIE duas vezes: uma antes do início das capacitações, e uma depois. Dessa forma, é possível avaliar de forma completa o seu desenvolvimento durante o período das capacitações.

Cases de projetos e programas

Cases de Microempreendedores Apoiados

portfólio de serviços

Clique aqui para baixar nosso portfólio em português
Clique aqui para baixar nosso portfólio em inglês

entre em contato