Em momentos mais turbulentos é natural que clientes priorizem o que estão consumindo e façam compras apenas do necessário. É nessa hora que você precisa ficar atento: quando diminui o fluxo de clientes em sua loja diminui também o volume de suas vendas, e em consequência o faturamento. Além disso, os produtos tendem a ficar encalhados e o desafio de empreender se torna ainda maior.

Nesse altura do campeonato, você pode se sentir perdido e se desesperar, mas vamos te mostrar qual é o melhor caminho a seguir. Já pensou quanto trabalho você pode poupar se já tiver uma estratégia programada para períodos mais difíceis? Bom, estamos falando das “medidas de prevenção” e como fazer isso para que seu negócio fique tranquilo em momentos de crise, como estamos passando agora com o coronavírus (COVID-19).

Que tal ficar de olho nas dicas abaixo para prevenir o seu negócio de sofrer consequências ao passar por contratempos como esse?

#1 Tenha um planejamento financeiro

Ter uma reserva financeira é muito importante para se prevenir de imprevistos e qualquer tipo de crise que possa acontecer e é importante construir essa reserva a longo prazo, assim você também não prejudica as finanças do seu negócio. Sabendo disso, precisa ficar claro que essa reserva não é a mesma coisa que capital de giro, muito menos sua poupança pessoal. É realmente uma reserva de emergência do seu negócio. 

É recomendado que essa reserva seja suficiente para manter seu negócio por cerca de três a seis meses e será destinada para custos que não estavam previstos, como acidentes, troca de máquinas em momentos inesperados, corte de grandes clientes e muitas outras coisas que podem acontecer. Por isso, é importante que nessa reserva seja fácil de retirar esse dinheiro de um dia para outro.

Você pode montar a sua reserva retirando pequenas quantias durante alguns meses. O importante é você se planejar. Defina quanto precisa, a quantidade de dinheiro que você pode retirar mensalmente e onde fará essa reserva. Essas retiradas não podem comprometer seu negócio, mas vale fazer aquele esforço para estar com a reserva rápido! A maior vantagem é se prevenir de endividamentos e não precisar recorrer a empréstimos para manter seu negócio, caso ocorram imprevistos. 

E se você ainda não possui uma reserva financeira? Tenha paciência! Você pode pesquisar e buscar as melhores fontes de crédito (ou microcrédito) para seu negócio disponíveis no mercado. 

Nesse momento, é preciso levar em conta que muitos bancos e cooperativas de crédito já estão buscando soluções para esse período, mas você que empreende não pode se desesperar e assumir contas ou empréstimos perigosos para sua organização financeira, ok? Existe microcrédito de todos os tipos, com valores, número de parcelas e taxas de juros muito variáveis. Por isso, lembre-se: é preciso se manter informado e não deixe de tirar todas as suas dúvidas antes de optar por um microcrédito.

#2 Faça uma gestão estratégica de estoque

Gerenciar o estoque de maneira estratégica é uma atividade que exige planejamento e análise para evitar perdas financeiras. Por isso, em períodos mais difíceis é preciso ter um cuidado ainda maior.

O primeiro passo é analisar cada um item do seu mix de produtos. Cuidado para não olhar apenas para o histórico de vendas ou fatores como sazonalidade, afinal é preciso observar e analisar principalmente o contexto atual para tirar as melhores conclusões com o objetivo de evitar desperdício ou falta de giro.

Em seguida, tenha uma olhar mais profundo para o perfil dos seus clientes. Com base nas informações que você já tem sobre eles, faça uma análise e se permita construir estratégias de promoções para limpar seus estoque que está parado. Aproveite esses dados e saia na frente da concorrência desenvolvendo campanhas promocionais e de fidelização. 

Conhecendo o mix de produtos e o cliente, chegou a hora de fazer a compra dos produtos com seus fornecedores e se você cumpriu os dois primeiros passos, vá com tranquilidade! Fazer uma compra com essas análises impede que você tenha acúmulo de produtos e assim, também consegue reduzir custos. Ter em mente quando e quanto deve comprar de cada fornecedor irá ajudar a manter o estoque equilibrado.

Além desse passo a passo, fique sempre de olho nos custos de manutenção desse estoque (energia, aluguel, tempo, etc) e também na possibilidade desses produtos vencerem ou saírem de linha. 

#3 Dê força ao seu atendimento no online

Pense em maneira de deixar seus clientes confortáveis e consumirem de você, mesmo em tempos de crise. Quando pensamos em uma crise na saúde, por exemplo, existe um aumento do número de pessoas dentro de casa como maneira de se prevenir da contaminação e com isso, surge uma oportunidade a ser explorada: as vendas online. Assim, as pessoas ainda conseguem consumir, mas sem risco algum!

Independente do que esteja acontecendo no seu negócio ou no mercado, não podemos negar que a comunicação é o que te deixa mais próximo do cliente. Por isso, mesmo sendo um momento mais delicado e que precisa ter cuidado, não saia no prejuízo. Entre em contato com seu cliente através de e-mail ou redes sociais e até mesmo pelo whatsapp, se você tem um contato mais próximo. Mas o que você pode fazer para que os clientes não esqueçam do seu negócio?

Primeiro, uma boa dica é deixar claro os horários de funcionamento, principalmente caso tenha alguma alteração nesse período, para que nenhum cliente possa dar o azar de ir até sua loja quando ela estiver fechada. Outra dica é aproveitar daquele estoque que está parado para oferecer promoções, monte combos e comunicar aos seus clientes. Mesmo que eles não consumam, você está fazendo sua parte deixando sua marca na mente do consumidor.

#4 Adapte o seu negócio para o online

Você tem um restaurante? Pense em marmitas para entregar.
Tem um mercadinho no bairro? As pessoas vão querer produtos frescos do mercado e você pode oferecer esse serviço de entrega.
É personal trainer, professor de inglês ou coach? Bora fazer esses encontros online via skype. 
Vende roupas, acessórios? Aproveite para explorar marketplaces como o Mercado Livre, ou até mesmo o Whatsapp.
Vamos colocar a cabeça para funcionar: planeje como você pode encaixar o seu negócio nesse contexto e evitar que ele pare de funcionar.

#5 Pagamentos digitais: a hora é agora!

E por último, se você ainda não acrescentou as formas de pagamento digital no seu negócio, não espere nem mais um minuto. Com o surgimento das contas digitais, os negócios que ainda não incorporaram essas novas formas de pagamento acabam ficando para trás, principalmente nessa época em que as pessoas vão consumir mais online por medo de se arriscar saindo de casa. Pense o que faz sentido para o seu negócio, como boleto, depósito, cartões de débito e crédito, links para pagamento, botões de pagamento e adicione se necessário!

Lembrando que esses cuidados precisam ser planejados como maneira de prevenção e não como uma ação corretiva, para tratar a causa na hora que surge. Além disso, é importante lembrar das orientações gerais e cuidado com as fake news, ok? 😉