Os pequenos empreendimentos são caracterizados pelo fato de que “todo mundo faz de tudo”, principalmente o empreendedor: ele(a) é quem vende, entrega, produz, atende o cliente e o telefone, vai ao banco e cuida do financeiro. Com todas essas atividades, pode ser comum que o empreendedor misture suas finanças pessoais com as do negócio e isso pode gerar alguns problemas.

Algum desses exemplos abaixo relembrou uma situação pela qual já passou?

  • Faltou um dinheiro para fazer supermercado? Pega um dinheiro do caixa da empresa, que sobrou no final do dia, para não ter que ir ao caixa eletrônico.
  • Você está no negócio e o seu filho chega da escola querendo tomar um sorvete. Você tira do negócio o dinheiro e dá para ele comprar.
  • Sua esposa ou marido pede dinheiro para pagar uma conta de luz da sua casa, e você pega cinquenta reais do negócio para pagar a conta.
  • Você decide comprar aquela máquina que sempre quis para o seu empreendimento, e paga com o seu próprio dinheiro.

Com essa confusão de gastos pessoais com o do negócio, fica muito difícil identificar, por exemplo, de onde está vindo o dinheiro e se você está conseguindo lucrar realmente com o seu negócio. Com a mistura de fluxo de caixas e de contas não é possível organizar uma análise financeira real e logo essa confusão se tornará um problema.

Por exemplo, se a situação financeira da empresa estiver estável, será que é a sua empresa que está gerando dinheiro? Ou é o seu controle nas finanças e investimentos pessoais que estão gerando bons lucros? E se a situação financeira estiver ruim, será que são os negócios que não vão bem? Ou a empresa está dando lucro, mas todo o dinheiro ganho está sendo gasto em despesas pessoais?

Ao separar as finanças do negócio com as finanças pessoais você conseguirá gerar dados para analisar, dados que irão te ajudar a tomar decisões no negócio.

1# Organize as suas finanças

O uso do dinheiro pessoal na empresa (e o da empresa na vida pessoal) não é o pior erro de gestão a se fazer em um negócio, e é bem comum acontecer. Contudo, para que essa mistura não se torne um problema sério, é muito importante se organizar!

Isso quer dizer anotar todas as vendas e todos os gastos que você tem no seu negócio. Existem diferentes ferramentas para te ajudar nesse processo. No Tamo Junto, criamos uma aula e um modelo de Livro Caixa para te auxiliar no processo.

2# Diferencie o que é do seu empreendimento e o que é teu

Uma vez que as finanças do seu negócio estão organizadas, destaque com uma cor diferente por exemplo tudo que é finanças pessoais, tanto os gastos quanto as entradas de dinheiro. Assim, você poderá no fim do mês calcular o valor que usou do seu empreendimento para gastar em compras pessoais e também separar o dinheiro que investiu nele do valor das suas vendas.

Com essas informações na mão, você terá uma noção mais assertiva da saúde do seu negócio e poderá tomar melhores decisões para melhorá-la sempre.

3# Define o seu salário

Esse é o dinheiro separado que você irá usar para pagar as contas de casa, comprar um presente para o seu filho, viajar com a sua família.  Como um verdadeiro salário, poderá planejar retirar um valor fixo todo mês, desde que seja organizado e disciplinado! 😉

Viu? Não tem segredo. Agora que você já sabe o quão simples é separar as finanças do negócio das suas finanças pessoais é hora de começar. Bora?

Para te ajudar a se organizar, preparamos planilhas de Controle de Vendas, Livro Caixa e Fluxo de Caixa. É só baixar!