No contexto atual muitas áreas de pequenos negócios estão buscando diferentes formas de adaptação. Um desses setores são os negócios do ramo de alimentação que precisam ter cuidados específicos, tanto no preparo quanto no atendimento ao cliente.

Conheça nesse artigo as medidas prioritárias  que você pode aplicar pensando na segurança dos seus clientes, e também na sua e dos seus colaboradores. Além é claro de cuidados que podem ajudar  você e o seu negócio a passar por este momento de crise. 

Negócios da alimentação: quais são os cuidados necessários para combater a transmissão do Coronavírus (COVID-19)

Ambientes que comercializam alimento são lugares de grande circulação e aglomeração de pessoas, afinal é muito bom passar o tempo com boa companhia e boa comida, não é mesmo? 

Porém diante do cenário atual é muito importante que você que  possui um negócio da área alimentícia tome as providências necessárias para manter a segurança do seu serviço e do seu produto garantindo a saúde de todos ao redor: clientes, fornecedores, colaboradores, incluindo você. 

Lembre-se que ao comercializar alimentos - seja por encomenda, por venda direta em ponto fixo ou ambulante -, está alimentando vidas, alimentando outras pessoas. Isso significa que tem a responsabilidade em oferecer um alimento seguro, sem contaminação e  saudável. Essa premissa é sempre fundamental nos negócios da área de alimentos, e se torna ainda mais urgente no momento atual.

Com isso, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para seu estabelecimento, indicamos um conjunto de medidas gerais que você pode adotar no seu  negócio de alimentação independente do segmento. Fique por dentro das boas práticas para negócios de alimentação! 

#1 Faça o treinamento de Boas Práticas de Fabricação de Alimentos da ANVISA 

Nesse treinamento que é gratuito, você e sua equipe de trabalho irão conhecer detalhes importantes na manipulação dos alimentos de forma segura. A nossa sugestão é que façam o treinamento. Se vocês já fizeram,  a orientação é que façam novamente para relembrar o conteúdo.

Se você adotar no dia a dia do negócio as regras e normas ensinadas no treinamento, certamente reduzirá o risco de doenças transmitidas pelo próprio alimento ou por aquele que está manipulando os alimentos. O treinamento está disponível gratuitamente no site  da Anvisa e possui certificação. Clique aqui para acessar o treinamento! 

#2 Tenha muito cuidado com a higienização

Ter um olhar de atenção para a higienização e limpeza dos ambientes, superfícies e locais permite que o seu estabelecimento esteja prevenido e disposto ao combate de doenças. Vamos saber mais detalhes sobre como higienizar cada item da forma correta:

- Mãos: Aumente a frequência de lavagem das mãos e se possível, fixe lembretes pelo estabelecimento e o passo a passo da lavagem. No final desse artigo você pode baixar um procedimento com o passo a passo da lavagem das mãos. Você também pode utilizar os cartazes disponíveis no site do Ministério da Saúde para colocar em seu negócio.

- Superfícies de trabalho: Faça com mais frequência a higienização das superfícies de trabalho: mesas, bancadas, balcões, maçanetas, interruptores de luz, maquininhas de cartão, equipamentos. Lembre-se de utilizar o álcool 70%.

- Ambiente e instalações: Higienize as instalações do seu empreendimento (espaço de produção, espaço de venda, carrinho ambulante) com maior frequência. Intensifique o cronograma de limpeza e caso você ainda não tenha um, é só baixar no final desse artigo e montar o seu. É super simples! E lembre-se de reforçar a higienização dos  sanitários.

E lembre-se: Quando você fizer compras para abastecer seu estoque, ao retornar para cozinha, seu negócio, sua dispensa, esterilize todas as embalagens (isso pode ser feito ao passar um pano com álcool 70%).

#3 Disponibilize álcool gel para sua equipe e clientes

Outra maneira de higienização e que pode simplificar o seu trabalho e seu tempo é disponibilizar álcool em gel 70% em vários pontos do estabelecimento para que você, sua equipe (se você tiver uma) e seus clientes utilizem livremente. Não deixe de conscientizar essas pessoas que estão com você no negócio, sua equipe precisa saber a importância desse uso. 😉

Nós sabemos que como é um produto que teve um aumento na procura, é mais difícil encontrá-lo.  E nesse caso? “Eu não encontrei álcool 70% pra comprar o que eu faço? Posso fabricar em casa?” .

NÃO, seguindo a recomendação oficial da Anvisa não utilize produtos caseiros para prevenção contra o coronavírus. Tenha cuidado com informações compartilhadas por meio de aplicativos, como “dicas” de uso de substâncias químicas para a produção caseira de produtos saneantes. Não coloque em risco a saúde de outras pessoas e evite acidentes.

Caso não encontre álcool em gel 70%, alguns sites da internet possuem venda prevendo data de entrega. Ou ainda, você pode encomendar diretamente em alguma loja ou comércio perto de você.

 #4 Faça a sua solução clorada

Uma boa solução para falta de álcool 70% é utilizar a solução clorada: você pega uma colher de sopa rasa de água sanitária hipoclorito de sódio 2,5% para 1 litro de água. Mistura e coloca em um frasco para borrifar sobre a superfície dos utensílios, bancadas. Deixe atuar por 15 minutos e enxágue.
No final desse artigo, você encontra o procedimento de como preparar e utilizar a solução clorada.

#5 Evite o contato com outras pessoas 

Se você ou alguém que trabalha em seu negócio apresentar: sintomas de gripe que correspondem  ao COVID-19; ou tiver entrado em contato com portadores do vírus; ou ainda que tenha feito o teste para o COVID-19, a orientação é que haja o afastamento do trabalho.
Além disso, neste momento, evite o contato próximo com seus clientes como abraços e apertos de mão. Depois que essa crise passar, você pode voltar a se aproximar deles, ok? Agora é hora de tomar cuidado!

#6 Fique de olho nas notícias do seu segmento 

Fique ligado nas informações e orientações voltadas para o seu negócio e busque informação em fontes confiáveis como o Ministério da Saúde e a Anvisa, onde as informações são constantemente atualizadas para trazer conhecimento à população. E principalmente, siga as orientações de contenção do vírus que o governo do seu estado ou cidade estão dando.

BRASÍLIA – O governador decretou o fechamento bares, restaurantes até 5 de abril, a Vigilância Sanitária tem percorrido todas as regiões do Distrito Federal para verificar o cumprimento dessas exigências. Somente mercados, padarias e farmácias podem continuar funcionando, mas com algumas precauções. 

SÃO PAULO A partir de amanhã, 24 de março até 7 de abril, somente poderão permanecer aberto ao público supermercados, hipermercados, padarias e açougues. Bares, restaurantes, lanchonetes e locais que fornecem alimentação preparada deverão ser suspensos ou transformados em serviços de delivery)

RIO DE JANEIRO até o momento o pedido é restringir a 30% a lotação em bares, restaurantes e lanchonetes, com normalidade de entrega e retirada de alimentos no próprio estabelecimento;

A dica é ser criativo e principalmente solidário neste momento de profunda dificuldade que estamos vivendo!

Não esqueça também de comunicar aos seus clientes as medidas que o seu negócio está adotando neste momento através das redes sociais e em cartazes pelo estabelecimento. É muito importante se posicionar neste momento e transmitir confiança ajuda que seus clientes continuem comprando. Ainda essa semana, será publicado um artigo no Tamo Junto sobre com dicas para ser visto e lembrado. Acompanhe!

Bom, depois destas recomendações gerais se você quiser saber quais são as dicas específicas para alguns segmentos da alimentação é só acessar o nosso artigo: Dicas específicas para negócios da alimentação: pontos fixo, encomendas e delivery, feirantes e ambulantes.